O Idiota

Filho de pai rico, Paulo nunca precisou trabalhar. Sempre teve o carro que queria e as mulheres que desejava. O pai não aprovava essa atitude, mas a mãe, que dominava o pai com seus encantos, o fazia aceitar tal situação.

Ela tinha suas artimanhas. Aos 45 anos ainda era muito bonita e graciosa. Sabia como dominar o pai e toda a casa. Permitia que Paulo vivesse a plenitude da sua vida já que foi um erro casar-se aos 20 anos e não descobrir todas as belezas e oportunidades da vida em seu esplendor.

Paulo tinha uma amiga mais chegada, mas que não dava mole para as suas molecagens. – A mais difícil tem de ser a melhor, dizia Paulo. Assim, pediu a donzela, Patrícia, para namoro firme aos pais dela que concordaram. Ela tinha vinte anos e lembrava muito a mãe de Paulo.

E não é que ela colocou limites em Paulo! Com um mês de namoro Paulo estava trabalhando com seu pai que não escondia a alegria. – Pai, posso levar Patrícia para jantar este sábado lá em casa. Quero apresentá-la, disse Paulo. – Claro meu filho. Vou falar com a mamãe para aprontar tudo. O pai sabia que era por influência de Patrícia que Paulo estava tomando rumo na vida.

No sábado, Paulo foi buscar Patrícia para o jantar. Como ela estava bela. Vestido azul até os joelhos que realçavam sua pele branca alva, seus olhos azuis e cabelos loiros. Paulo estava de jeans azul com uma blusa branca de manga comprida. Tinha olhos castanhos claros e feições finas. Ela entrou no carro e foram para a casa de Paulo.

Chegando lá, foram recebidos pelos anfitriões, Dr. Alberto e Dona Laura que ao ver Patrícia ainda no carro tomou um susto. – Pai, Mãe, esta é Patrícia! Estamos namorando firme há uns dois meses. Acho que vocês perceberam que mudei de comportamento – estou trabalhando e voltei a estudar. É obra dela. Tem me mostrado como devo me portar diante da vida e de compromissos sérios. Dona Laura fez as honras da casa, pediu que entrasse e se apresentou. Em seguida apresentou o marido, Dr. Alberto que ficou muito feliz. – Vamos tomar um drink antes do jantar, disse Dona Laura piscando para Patrícia.

Durante o drink os pais de Paulo ficaram sabendo sobre Patrícia que era técnica em uma grande multinacional e que ainda estava estudando para ser analista. Ajudava Paulo a ter as mesmas metas. Paulo disse que estava bem trabalhando com o pai e logo, logo ia se formar.

couple about to kiss
Photo by Jonathan Borba on Pexels.com

Foram para a mesa de jantar onde estava servido um delicioso filé, com arros e fritas, prato preferido de Paulo. – Após o jantar e ainda na mesa, Paulo diz que já tinha falado no dia anterior com os pais de Patrícia e eles abençoaram a união dos dois. Iam se casar e Paulo e Patrícia pediram as bençãos de Dr. Alberto e Dona Laura. Dr. Alberto abençoou com muita felicidade o mesmo não acontecendo com Dona Laura que o fez de forma um pouco constrangida. O casal, pela segunda vez, trocou alianças e Paulo deu um discreto beijo em sua noiva. Era a surpresa dele para seus pais.

Dona Laura explodiu: – Este casamento não vai acontecer e essa relação termina aqui. Patrícia baixou a cabeça. – Que trabalho e que estudos são esses. Você finge ser filha do Vilhena com a Maria, mas não é. Você é uma prostituta que sustenta os dois e está a caça do príncipe encantado. Patrícia se levantou correndo e foi embora. Foi sua confissão.

Paulo chorava, enquanto o Dr. Alberto não acreditava na cena que vivenciou.

– Paulo! Continue trabalhando com seu pai e se divertindo. Tenha em mente que não é o homem quem escolhe a sua mulher, ao contrário, é a mulher quem escolhe o seu homem. Aí pode dar certo.

– Mas como você descobriu Laura, perguntou Dr. Alberto.

– Elas não me enganam, assim como você não nunca me enganou com suas amantes desde que nos conhecemos. Ademais, eu fui como elas.