Procurando por Ela – Segunda Versão – Capítulo III

Os três agentes que Thony requisitou embarcaram às 05:00hs de Brasília, sede do Conglomerado das empresas de Thony. Não portavam armas, posto ser proibido pelo procedimentos internacionais. Já tinham contactado os agentes americanos e o ponto de encontro seria no Hotel Hills, o mesmo onde iriam ficar os brasileiros, às 14:00hs.

Depois do pouso do avião que levava Thony, Clair e Laura houve os procedimentos burocráticos e todos pegaram suas bagagens. À saída do aeroporto os esperavam o Presidente da Editora, senhor Stuart, a diretoria, muitos fãs, profissionais da imprensa e os agentes que estavam disfarçados no meio da multidão tentando proteger os três sem serem notados.

Thony teve de dar dezenas de autógrafos e fotos com fãs, até a imprensa começar a fazer perguntas e, como não poderia deixar de ser, a primeira foi não uma pergunta, mas um pedido: – Um beijo na senhorita Clair, senhor Thony. Ele abraçou Clair ternamente, mas tascou-lhe um de seus beijos preferidos. – Thony eu disse para você pegar leve, lembra, disse Clair. Laura? O que eu faço? perguntou Clair. – O que ele quiser, ah ah ah ah, respondeu Laura.

Senhor Stuart cumprimentou Clair, Laura e deu um forte abraço em Thony desejando a todos um feliz estada e sucesso em Nova York. Thony retribuiu o abraço e foram os quatro para a Limusine, sem antes Thony cumprimentar os membros da Diretoria.

Já a caminho do hotel Thony agradeceu a recepção, o carinho dos fãs e da imprensa e disse que faria o seu melhor para retribuir tanta ternura e que estava se sentindo seguro no meio daquela multidão. – Thony, em primeiro lugar deixe-me apresentar minha secretária, senhorita Charlote. Charlote cumprimentou a todos, em especial e com carinho, Thony. Clair ficou enfurecida porque sabia da fama de atrevida de Charlote e viu que se jogou toda para Thony. Clair fechou cara e Thony e Laura perceberam. O Presidente percebeu, também, e olhou Charlote com certo ar de reprovação.

Minha querida Clair, disse o Presidente, eu li todos os seus relatórios sobre os acontecimentos no Brasil. Quero lhe dar parabéns pelo seu excelente trabalho, mas, me diga uma coisa: – Você acha que o sucesso no Brasil vai se repetir aqui, perguntou o Presidente.

– Eu tenho certeza que o sucesso vai ser maior, muito maior dado que Thony e seu excelente trabalho já estão na mídia e cativaram os americanos. Mesmo considerando que haverá um lançamento simultâneo do Best-Seller Steve Collins na Livraria em frente, no mesmo dia e horário, eu não tenho dúvidas de que o novo Best-Seller está aqui no carro. Todos riram e torceram muito.

– Thony, sei que você tem um problema nos músculos na mão que escreve. Já contratamos uma médica para lhe acompanhar durante os autógrafos, disse o Presidente Stuart.

– Eu agradeço Stuart, mas minha mulher é minha médica. Mas a médica que você contratou pode ficar trabalhando junto com Clair, disse Thony. Laura percebeu mais uma estocada em Clair – que já estava para explodir. Queria trabalhar sozinha.

– Chegamos, disse Stuart. Como o você pediu Thony. Um hotel de médio para bom, bem localizado e saíram da limusine cada um indicando sua bagagem.

– Eu preciso falar a sós com você Thony, disse Stuart baixinho. Nossos agentes já estão de prontidão, junto com a polícia. Devem se encontrar daqui a pouco com os seus seguranças. Farão um relatório de como vão atuar. Sobre a carta-ameaça que você recebeu, nada conseguimos apurar. Mas, fique tranquilo, continuou Stuart.

– OK! Mas eu quero proteção especial para minha mulher e Laura, disse Thony.

– Será feita, disse Stuart.

– Senhores! Posso saber o que estão conversando ao pé do ouvido, perguntou Clair que ficou com mais ciúme ainda. Mas, era assim que Thony gostava de fazer amor com ela. Bem raivosa.

– Nada amor, estamos combinando o jantar de hoje. Só isso, disse Thony.

Ela deu meu meia volta e se juntou a Laura. – Laura! O Thony vai ver quando entrarmos no quarto!! Ele me paga e aquela assanhada que ficou dentro do carro também.

– Clair! Thony não teve nada a ver com isso. Ele se portou como seu marido, disse Laura. – É! E se eu não estivesse junto? Seria o mesmo comportamento? Ele vai ter de se explicar!!! E por que os dois se separaram para conversar baixinho? Eu quero essas respostas agora quando entrarmos no quarto. – Clair, lembre-se que Thony tem de estar centrado. Amanhã é o Dia!, exclamou Laura. – Não vai dar para me conter Laura, disse Clair.

Vamos, então! Abraços Stuart, senhorita Charlote. Nos vemos às 19:00hs para o jantar.

E foram todos para as suas suítes.

Os dois entraram na suíte e ela foi logo cuspindo fogo.

– Eu quero ter uma conversa com você e não é baixinha não, ouviu!!!, exclamou em voz alta Clair. Thony já sabia que isso ia acontecer, mas se fez de tonto.

– Olha como você fala comigo, minha gringa. Eu não fiz nada, disse Thony.

– E seu eu não estivesse no carro quando a Charlote lhe cumprimentou quase mostrando os seios e de forma sedutora. Como você se comportaria? Me diga? E aquela conversa baixina? Ele é o cafetão? Seu mulherengo inveterado, Clair já aos berros!!!!!

– Olhe, baixe a voz! Sou inocente. Se você não estivesse lá, não aconteceria nada, respondeu e já quase colocado no corpo de Clair.

– Como eu posso ter certeza?, perguntou Clair já se desmanchando.

– Thony então puxa-a para si, com uma mão aperta seu quadril e com a outra segura firme seu rosto e lhe dá um beijo que deixa Clair sem forças que diz: – Não! Não! e se entrega totalmente. Thony ainda diz: – Você é a minha mulher!

Por volta das 19:00hs o Presidente Stuart, sua secretária e a Diretoria param seus carros em frente ao hotel onde Thony estava hospedado. Seria ali o jantar,a pedido de Clair que assim teria mais tempo para tratar a mão de Thony.

Quando a comitiva entrou no hall do hotel Thony, Clair e Laura já os esperavam. Depois dos cumprimentos – Charlote insistia em se insinuar para Thony o que tirava Clair do sério – foram todos para o salão de jantar. Entre as conversas e perguntas uma se destacou e que foi feita pela Diretora de Marketing: – Thony, Clair eu sei que é um assunto muito pessoal, mas é necessário para nossas estratégias. Quero fazer algumas perguntas: Vocês pretendem se casar aqui, ter suas filhas aqui e morar aqui ou no Brasil?

empty dining tables and chairs
Photo by tom balabaud on Pexels.com

– Senhorita Ann, são boas perguntas. Confesso que não tínhamos pensado nisso, eu e Clair, disse Thony. Mas, quanto ao casamento será lá e aqui, primeiro lá. Nossas filhas nascerão no Brasil, mas serão americanas, também. Quanto a morar, penso que deve ser aqui nos Estados Unidos. O que você acha Clair?, perguntou Thony.

– Difícil pergunta Ann. Concordo com meu marido nos dois primeiros pontos. Mas, acho que devemos morar também no Brasil. Estaremos sempre aqui e vejo as implicações dessas respostas para todo o seu trabalho com relação à imagem de Thony, disse Clair.

– Tá certo, eu concordo, disse Thony.

– Bom, teremos que montar uma estratégia de marketing muito específica neste caso. Afinal, li seu livro duas vezes e você será Best-Seller por muito tempo. Você tem talento Thony! Mas, eu preciso que, enquanto as crianças forem pequenas, vocês passem uns quatro meses aqui nos Estados Unidos. Você tem família aqui Clair, disse Ann.

– Sim, claro, você está certa Ann, disse Clair. Uns quatro a seis meses, complementou. Minha família mora aqui Ann.

– Estou de acordo e isso não vai impactar meus outros negócios. Ao contrário. Bom! Estando ao lado da minha mulher e as filhas, estará tudo bem e deu um aperto gostoso na coxa de Clair que gostou muito e olhou para Charlote com ar de “esse homem é meu sua piriguete”.

Depois do evento todos se despediram e os três foram para seus quartos. No trajeto, Laura informou que conversou muito com a Diretora de Produção e Arte. O próximo livro – que Thony já está escrevendo – vão trabalhar mais próximas. – Eu adorei, disse Laura.

– Boa noite pessoal, disse Laura.

– Boa noite, disseram Clair e Thony.

– Oh! Seu Brutamontes, você tinha que me dar um acocho. Eu me assustei, mas…gostei. A Charlote notou, que bom, disse Clair.

O Brutamontes puxou Clair para junto do seu corpo e disse: – Você gostou é? Então prepare-se porque vou ter você agora, disse Thony.

– Sim!!! Mas amanhã de manhã nada. Tem de relaxar e eu cuidar da sua mão para o evento que começão às 18:00hs, disse com Clair com autoridade.

– Negativo! Amanhã de manhã sim senhora! É o meu melhor relaxamento e ponto final. O homem aqui sou eu, entendeu minha mulher, disse Thony.

E fizeram amor por toda a noite e ao amanhecer.

– Você está relaxada para cuidar de mim minha potranca?, perguntou Thony.

– Como…hã…onde estou, falou Clair.

– Ah! ah! ah! ah! Eu adoro, você sempre fica desmiolada, riu Thony.

– Já estou bem! Agora vá tomar banho enquanto eu preparo tudo aqui e peço o café.

– Você não vem?????, perguntou Thony

– Não!!!! Se não você vai me pegar de novo e hoje é seu grande dia. Concentração!

– Então peça milk shake para o café da manhã, disse Thony.

– Nãooooooo!!!!!!!! Você não vai me enrolar! Já chega! Para o banho!!!!!!

– Tá bom! Essa ela ganhou. Mas vou dar o troco.

Clair bate na porta do banheiro e avisa que está confirmada a chegada de sua família às 16:00hs. – Yes! Vou conhecer minha família americana. Depois foi a vez de Clair tomar banho – ela queria evitar contato -e já tinha pedido o café da manhã.

Depois, Clair fez uma hora de massagem na mão de Thony e em seguida a colocou em água morna por mais trinta minutos e pediu para ele descansar a mão em cima do travesseiro por mais quinze minutos. Pronto! Daria para aguentar metade do tempo dos autógrafos, pensou. Laura sabia do procedimento e não quis incomodar. Foi dar um passeio. Por volta das 11:00hs todos se encontraram e resolveram almoçar logo para adiantar a ida para a livraria a fim de evitar a aglomeração. Falaram com Stuart que ficou de buscá-los às 13:00hs em ponto. O trajeto seria de 30 minutos e a família de Clair iria direto para o local.

Às 13:35 todos já estavam na livraria, no salão para convidados e autores. Ficaram conversando sobre tudo o que poderia acontecer – todos estavam muito otimistas -, quando Clair ficou sabendo que sua família chegara. Abriu as portas do salão, abraçou a todos e veio Thony. – Então é você que quer roubar minha filha, disse o senhor Jerry, pai de Clair, num tom grosseiro, mas de brincadeira. – Senhor Jerry, não vou roubar sua filha, vocês é que me roubaram e se abraçaram. Em seguida, foi a vez da mãe, senhora Katherine. Thony a cumprimentou verbalmente e beijou a sua mão. Os dois ficaram amigos na hora.

Depois, a vez do irmão e da cunhada de Clair, Clarence e Elizabeth. Clair apresentou Laura e o senhor Stuart, logo depois. Todos foram sentar e conversar, menos Stuart e Thony que tinham um encontro com os agentes. A Polícia de Nova York já estava organizada e destacado um detetive para acompanhar os três agentes de Thony e os três de Stuart. Iam começar a conversar. Clair reparou tudo que se desenrolava na sala em frente a que estava. Combinaram como seria a proteção em conjunto com a Polícia de Nova York que estava representada pelo detetive. Este seria crucial no processo. Thony pediu que ele vigiasse a família de Clair e Laura. Tudo ficou acordado.

Desfeita a reunião, Thony chamou Clair e Laura para conversarem e contou tudo, desde o carta que recebeu e as providências que adotou. Pediu desculpas por não ter contado antes, mas foi, assumiu, uma bobagem. Clair e Laura concordaram com todas as providências, disseram que com ou sem ameaça estariam em Nova York, só pediram para que fossem avisadas imediatamente se acontecesse de novo. Thony concordou, mas disse que não sabia se a ameaça estava ligada ao lançamento do livro ou aos negócios que tinha nos Estados Unidos.

assorted books on shelf
Photo by Ivo Rainha on Pexels.com

Já eram 16:30hs e duas multidões já estavam em filas organizadas pela polícia. Estava tudo preparado. Thony deu um último beijo em Clair e foi para a mesa de autógrafos. De repente, Thony se levanta e sai em direção à outra livraria – os agentes ficaram atordoados – onde Collins iria autografar seu livro. Thony era fã dele.

Quando a multidão viu Thony ficou em delírio. Thony parou no meio do caminho para retribuir o carinho e continuou até chegar a Collins. Os dois se cumprimentaram calorosamente. – Sou seu fã Collins e desejo sucesso. – Eu virei seu fã Thony, excelente livro. – – – Acho que somos amigos Collins. – Com certeza, Thony. – Que tal aparecermos juntos lá fora e cumprimentarmos a multidão, perguntou Thony. – Excelente ideia, disse Collins.

Foi um lindo espetáculo e a imprensa não parava de tirar fotos dos dois, os fãs se confraternizaram. Só os agentes que quase enlouqueceram, assim como as famílias dos respectivos autores. Laura e Clair sabiam que era o momento de Thony. Depois de alguns minutos os dois se despediram e retornaram para seu lugares.

– Senhor Thony, não faça mais nada que não esteja programado. O risco pode aumentar e ficamos sem estratégia, disse o agente destacado para proteger Laura, Clair e família.

– Desculpe agente Thomas, não mais acontecerá, disse Thony.

18:00hs – Hora do Show

Continua na Próxima Semana