O Idiota

Filho de pai rico, Paulo nunca precisou trabalhar. Sempre teve o carro que queria e as mulheres que desejava. O pai não aprovava essa atitude, mas a mãe, que dominava o pai com seus encantos, o fazia aceitar tal situação.

Ela tinha suas artimanhas. Aos 45 anos ainda era muito bonita e graciosa. Sabia como dominar o pai e toda a casa. Permitia que Paulo vivesse a plenitude da sua vida já que foi um erro casar-se aos 20 anos e não descobrir todas as belezas e oportunidades da vida em seu esplendor.

Paulo tinha uma amiga mais chegada, mas que não dava mole para as suas molecagens. – A mais difícil tem de ser a melhor, dizia Paulo. Assim, pediu a donzela, Patrícia, para namoro firme aos pais dela que concordaram. Ela tinha vinte anos e lembrava muito a mãe de Paulo.

E não é que ela colocou limites em Paulo! Com um mês de namoro Paulo estava trabalhando com seu pai que não escondia a alegria. – Pai, posso levar Patrícia para jantar este sábado lá em casa. Quero apresentá-la, disse Paulo. – Claro meu filho. Vou falar com a mamãe para aprontar tudo. O pai sabia que era por influência de Patrícia que Paulo estava tomando rumo na vida.

No sábado, Paulo foi buscar Patrícia para o jantar. Como ela estava bela. Vestido azul até os joelhos que realçavam sua pele branca alva, seus olhos azuis e cabelos loiros. Paulo estava de jeans azul com uma blusa branca de manga comprida. Tinha olhos castanhos claros e feições finas. Ela entrou no carro e foram para a casa de Paulo.

Chegando lá, foram recebidos pelos anfitriões, Dr. Alberto e Dona Laura que ao ver Patrícia ainda no carro tomou um susto. – Pai, Mãe, esta é Patrícia! Estamos namorando firme há uns dois meses. Acho que vocês perceberam que mudei de comportamento – estou trabalhando e voltei a estudar. É obra dela. Tem me mostrado como devo me portar diante da vida e de compromissos sérios. Dona Laura fez as honras da casa, pediu que entrasse e se apresentou. Em seguida apresentou o marido, Dr. Alberto que ficou muito feliz. – Vamos tomar um drink antes do jantar, disse Dona Laura piscando para Patrícia.

Durante o drink os pais de Paulo ficaram sabendo sobre Patrícia que era técnica em uma grande multinacional e que ainda estava estudando para ser analista. Ajudava Paulo a ter as mesmas metas. Paulo disse que estava bem trabalhando com o pai e logo, logo ia se formar.

couple about to kiss
Photo by Jonathan Borba on Pexels.com

Foram para a mesa de jantar onde estava servido um delicioso filé, com arros e fritas, prato preferido de Paulo. – Após o jantar e ainda na mesa, Paulo diz que já tinha falado no dia anterior com os pais de Patrícia e eles abençoaram a união dos dois. Iam se casar e Paulo e Patrícia pediram as bençãos de Dr. Alberto e Dona Laura. Dr. Alberto abençoou com muita felicidade o mesmo não acontecendo com Dona Laura que o fez de forma um pouco constrangida. O casal, pela segunda vez, trocou alianças e Paulo deu um discreto beijo em sua noiva. Era a surpresa dele para seus pais.

Dona Laura explodiu: – Este casamento não vai acontecer e essa relação termina aqui. Patrícia baixou a cabeça. – Que trabalho e que estudos são esses. Você finge ser filha do Vilhena com a Maria, mas não é. Você é uma prostituta que sustenta os dois e está a caça do príncipe encantado. Patrícia se levantou correndo e foi embora. Foi sua confissão.

Paulo chorava, enquanto o Dr. Alberto não acreditava na cena que vivenciou.

– Paulo! Continue trabalhando com seu pai e se divertindo. Tenha em mente que não é o homem quem escolhe a sua mulher, ao contrário, é a mulher quem escolhe o seu homem. Aí pode dar certo.

– Mas como você descobriu Laura, perguntou Dr. Alberto.

– Elas não me enganam, assim como você não nunca me enganou com suas amantes desde que nos conhecemos. Ademais, eu fui como elas.

people in concert

O Mulherengo

Photo by Artem Beliaikin on Pexels.com

Ele se acomodava no bar da piscina, comendo amendoins e tomando seu primeiro copo com whiskey. De repente, ele viu uma lida mulher vestida de vermelho – sua cor favorita – no balcão da recepção. Ele mirou seu olhar nas lindas pernas daquela mulher, enquanto ela falava com a recepcionista do hotel. Parece que já vi essa mulher, e ela vai ser minha agora, ele pensou. Esse comportamento era “normal” para ele. Ele via e queria imediatamente.

Assim , ele se levantou e foi como um raio na direção da mulher de vermelho.

– Olá! Eu acho que a vi esta tarde saindo da Universidade com uma pressa danada. Nem deu para reparar o quão botina você é. Ah! Meu nome é Antonio Cláudio e sou professor naquela Universidade. E você? Não! Eu estou comendo alguma coisa e tomando um drink. Me acompanhe, preciso conversar, conhecer você.

Antonio usou todo o seu charme. Não deixou saída para ela.

– Sim, obrigada! Me dê um minuto, pois tenho de deixar algumas coisas no apartamento e quero lavar meu rosto, ela disse.

– Sem problema! Estarei esperando você no bar da piscina. Não troque de roupa, vermelho é minha cor favorita, ele disse.

Ela ficou surpresa. Não podia ser. Não estava acreditando.

– Oh! Meu Senhor! Existe algo melhor do que uma mulher sexy, agradável, com cheiro gostoso, cabelos Chanel e uma pele dourada e macia? Não! Não existe, exclamou Cláudio.

Não está tarde. Que tal um banho de piscina depois. Ela está no papo, pensou Cláudio.

Vinte minutos mais tarde, ela aparece no bar.

– Olá! Muito prazer. Meu nome é Karina e sim eu trabalho na Universidade. Sou a nova Diretora Geral. Estou procurando uma casa para morar. Você parece bem! Me conte de você um pouco.

Cláudio levou um choque. Sempre tomava a iniciativa. Parecia que ela já o conhecia. Cláudio ficou sem jeito pela primeira vez com uma mulher.

– Bem, eu sou professor lá na Universidade. Leciono Gestão de Negócios, disse Cláudio.

Ela me pegou, ela me conhece. Como? De onde? pensou Cláudio. – Deixe-me perguntar Karina: – você me conhece?

– Esta pergunta é minha Cláudio, disse Karina.

– Não!!!!!! Isto é impossível. Você é a Kaka. Começamos a trabalhar juntos em outra empresa. Eu não posso acreditar!! Oh! Como está Kaka, perguntou Cláudio.

– Bem, eu estou aqui com meu ex-namorado que dizia que me amava que eu era tudo para ele e depois me trocou por outras. Eu sofri muito. Perdi nosso bebê, mas eu nunca desisti. Eu sei que você é casado, tem uma filha e eu vivo para o meu trabalho. Mas, estou com namorando.

Photo by Andrea Piacquadio on Pexels.com

– Eu lamento muito, muito mesmo. Perdoe-me, disse Cláudio.

– Veja Cláudio. Eu estudei todos os CV dos professores. Você é muito bom e tem uma linda família. Posso sentir que sua esposa o ama. Pare com esse vício, essa molecagem, você já é adulto e tem responsabilidades, tem pessoas que o amam de verdade. Não estrague seu casamento, sua família por bobagens. Ter uma família, um lar é muito importante, disse Kaka.

– Você está certa Kaka. Primeiro quase destruí a sua vida. Agora estou arruinando minha família. Acabou! Não quero mais essa vida, disse Cláudio.

– Eu vou lhe dar uma ordem e um conselho. A ordem é pare com isso. O Conselho é dê importância a sua familia, ame a sua família. Eu sei o que estou falando, disse Kaka. Nos vemos na Universidade, completou Kaka.

Sim! Está certo! Kaka, obrigado pela lição, disse Cláudio.

Fim!

Obrigado, Leitor(a)!

Eu não quero convencer a ninguém, isto seria uma falta de respeito (Saramago, 1922 – 2010)